24Out
By: admin Ligado: 24 Outubro, 2017 In: Notícias

A Autoridade Tributária e Aduaneira realizou uma acção de fiscalização em estabelecimentos que comercializam produtos perecíveis. Foram levantados 920 autos de notícia a empresas que agora vão ter acompanhamento mais apertado do Fisco.

Talhos, peixarias, frutarias, floristas e mercearias. Foram estes os alvos do Fisco que, na semana passada, lançou a operação Acção Deterioração Fácil, uma acção a nível nacional dirigida a estabelecimentos que comercializam produtos perecíveis. O objectivo, além de controlar operações de facturação, foi também verificar os documentos de aquisição dos produtos em causa.

Foram detectados 920 casos de incumprimento e levantados os respectivos autos de notícia. Entre os problemas encontrados pelos inspectores estão a falta de emissão de factura; não observância dos requisitos formais dos documentos emitidos; não utilização de programa de facturação certificado e não exibição de documentos de transporte ou de aquisição.

A acção foi realizada na passada semana pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), através da Inspecção Tributária e Aduaneira, e levou ao controle de 4.600 estabelecimentos, e colocou no terreno 520 inspectores, de acordo com um comunicado emitido pelo Ministério das Finanças.

Os estabelecimentos agora apanhados em falta vão agora continuar a se objecto de “um rigoroso acompanhamento do seu comportamento declarativo”, sublinha o Ministério das Finanças. Está prevista, aliás, a realização de novas inspecções “nos casos em que que forem detectados elevados riscos de incumprimento”.

O fisco promete continuar a mesma linha de actuação e avança que está programado um conjunto de outras acções no mesmo âmbito, orientadas para diversos sectores de actividade, que não são identificados.

Filomena Lança